domingo, 27 de abril de 2008

Edson Cordeiro

Hoje vou ver o concerto deste fabuloso contratenor brasileiro de 41 anos, que afirma ser um cantor que é gay, mas não um gay que é cantor.
O espectáculo chama-se "Voz de Mulher", um conjunto de temas, só com voz e piano em que interpretará entre outras, Madonna, Shirley Bassey, Maria Callas, Billie Holliday e...Amália!
Se estiverem interessados ou curiosos, e se ainda houver bilhetes, é às 21 horas no S. Luís.
E vou lá encontrar o Paulo e o Zé (Felizes Juntos), o Luís Galego (Infinito Pessoal) e o P.(O melhor dos dois mundos) e quem sabe...mais gente conhecida...
Neste vídeo, aparece o também gay e quase eterno Ney Matogrosso.

O espectáculo foi fabuloso. Edson Cordeiro é um verdadeiro "show man", canta e encanta; diverte e comove. Com um acompanhante, alemão, ao piano, perfeitamente integrado no todo do espectáculo, teve o seu momento mais alto quando interpretou a canção de Piaff "Mon Dieu"...
E o mais divertido, quando pediu um apoio cantado ao público masculino e depois ao feminino, devidamente "ensaiado" e depois pediu, "à traição", o apoio do público gay e recebeu uma imensa resposta, eh eh eh. A companhia do Zé e Paulo, do Paulo M. e do Luís Galego e da sua muito simpática esposa, levaram-nos depois a uma agradável conversa no bar do "Hotel Bairro Alto".


sábado, 26 de abril de 2008

Piadolas religiosas


Na confissão ...
- Padre, eu toquei nos seios da minha namorada.
- Tocou por cima ou por baixo da blusa dela?
- Foi por cima da blusa dela, padre.
- Você é muito estúpido! Por baixo da blusa!!!, a penitência é a mesma!!


O velho acaba de morrer. O padre encomenda o corpo e rasga-se em elogios:
- O finado era um óptimo marido, um excelente cristão, um pai exemplar!!...
A viúva vira-se para um dos filhos e diz-lhe ao ouvido:
- Vai até o caixão e vê se é mesmo o teu pai que está lá!

Na hora do almoço, a madre superiora anuncia:
- Irmãs, hoje teremos bananas de sobremesa!!
- Ehhhhh hhhh!!!! Vibram as freiras.
- Em rodelas!!, acrescenta a madre
E as freiras, decepcionadas:
- Ooooohhhhhhhhh!!!!...


A freira vai ao médico:
- Doutor, tenho tido ataques de soluços, que não me deixam viver. Não durmo, não como, e tenho dores no corpo de tanto movimento compulsivo involuntário.
- Tenha calma, irmã, que vou examiná-la.
O médico examina-a e diz:
- Irmã, a senhora está grávida.
A pobre freira levanta-se e sai a correr do consultório, em pânico.
Uma hora depois, o médico recebe uma chamada da madre superiora do convento:
- Doutor, o que é que o senhor disse à irmã Carmen?
- Cara madre superiora, como ela tinha um forte ataque de soluços, eu disse que ela estava grávida. Espero que com o susto ela tenha parado de soluçar!
- Sim, a irmã Carmen parou de soluçar, mas o padre Paulo atirou-se da torre da igreja!!!

Um padre está em missão em pleno pantanal mato-grosso, quando lhe aparece pela frente uma enorme onça faminta.
A fera lambe os lábios e prepara-se para atacar.
O padre ajoelha-se e diz:
- Ó Senhor, incute nesta fera sentimentos cristãos!
E a onça:
- Senhor, abençoai este alimento que vou tomar!


A campainha toca na casa de um tipo muito avarento.
O sujeito abre a porta e dá de caras com duas freiras, pedindo donativos e que lhe dizem:
- Meu filho, nós somos irmãs de Cristo e...
O avarento atalha:
- Arre porra, estão muita bem conservadas!!!!


Já muito tarde, um padre passa perto dum cemitério e apanha o maior susto da sua vida, quando ouve:
- Huuuum, huuuuum, huuuuuuuuum!
O padre pára, reza um Pai Nosso, faz o sinal da cruz, enche-se de coragem e pergunta:
- De que é que esta pobre alma precisa?
E a voz responde-lhe:
- De papeeel higiéééééénico!


O padre Valdemar vai à prisão dar a última bênção a um condenado, minutos antes da execução.
- Vim trazer-lhe a palavra de Deus.
- Não era preciso incomodar-se, padre! Daqui a pouco vou estar pessoalmente com Ele...

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Manta...Alegre...Zeca


Pergunto ao vento que passa

notícias do meu país

e o vento cala a desgraça

o vento nada me diz.


Pergunto aos rios que levam

tanto sonho à flor das águas

e os rios não me sossegam

levam sonhos deixam mágoas.


Levam sonhos deixam mágoas

ai rios do meu país

minha pátria à flor das águas

para onde vais? Ninguém diz.


Se o verde trevo desfolhas

pede notícias e diz

ao trevo de quatro folhas

que morro por meu país.


Pergunto à gente que passa

por que vai de olhos no chão.

Silêncio é tudo o que tem

quem vive na servidão.


Vi florir os verdes ramos

direitos e ao céu voltados.

E a quem gosta de ter amos

vi sempre os ombros curvados.


E o vento não me diz nada

ninguém diz nada de novo.

Vi minha pátria pregada

nos braços em cruz do povo.


Vi minha pátria na margem

dos rios que vão pró mar

como quem ama a viagem

mas tem sempre de ficar.


Vi navios a partir

(minha pátria à flor das águas)

vi minha pátria florir

(verdes folhas verdes mágoas).


Há quem te queira ignorada

e fale pátria em teu nome.

Eu vi-te crucificada

nos braços negros da fome.


E o vento não me diz nada

só o silêncio persiste.

Vi minha pátria parada

à beira de um rio triste.


Ninguém diz nada de novo

se notícias vou pedindo

nas mãos vazias do povo

vi minha pátria florindo.


E a noite cresce por dentro

dos homens do meu país.

Peço notícias ao vento

e o vento nada me diz.


Quatro folhas tem o trevo

liberdade quatro sílabas.

Não sabem ler é verdade

aqueles para quem eu escrevo.


Mas há sempre uma candeia

dentro da própria desgraça

há sempre alguém que semeia

canções no vento que passa.


Mesmo na noite mais triste

em tempo de servidão

há sempre alguém que resiste

há sempre alguém que diz não.
Manuel Alegre

quinta-feira, 24 de abril de 2008

The naked maid

Este é um dos números do musical "Naked Boys Singing", que foi exibido, sempre com grande êxito, na Broadway e em vários países europeus. Os nove intérpretes, todos eles excelentes cantores e bailarinos, actuam sempre completamente nús.

Para quando no nosso país??

terça-feira, 22 de abril de 2008

Questão demográfica



Eis aqui um bom exemplo para resolver o problema demográfico do interior do país...




Do Arquivo Nacional da Torre do Tombo
SENTENÇA PROFERIDA EM 1487 NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO· (Autos arquivados na Torre do Tombo, Armário 5, Maço7
"Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, de idade de sessenta e dois anos, será degredado de suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeça e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou, sendo acusado de ter dormido com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos; de cinco irmãs teve dezoito filhas; de nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas; de sete amas teve vinte e nove filhos e cinco filhas; de duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas; dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas, da própria mãe teve dois filhos. Total:duzentos e noventa e nove, sendo duzentos e catorze do sexo feminino e oitenta e cinco do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e trêsmulheres".
[agora vem o melhor:] "El-Rei D. João II perdoou-lhe a morte e mandou-o pôr em liberdade aos dezassete dias do mês de Março de 1487, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo, e guardar no Real Arquivo esta sentença, devassa e mais papéis que formaram o processo".

domingo, 20 de abril de 2008

Noite quase perfeita

Uma primeira palavra, fundamental e muito sentida: OBRIGADO!!!
Obrigado a todos aqueles que marcaram presença, não só aos que vieram de mais longe (claro que o agradecimento a estes é reforçado), mas também aos daqui, de perto; um obrigado especial às duas únicas presenças femininas, a Duxa e a Keratina, que se estiveram marimbando pela inferioridade numérica e animaram e muito, as mesas.
Obrigado aos presentes sem blog: Catatau, Duxa, Rui, Duarte.
Obrigado aos “acompanhantes” de muitos dos presentes, pois vieram, e de que maneira, a dar força à presença dos que os trouxeram consigo.
Obrigado aos que apareceram mais tarde a dar-nos o seu abraço.
Obrigado aos que telefonaram ou enviaram SMS’s a dar também um abraço amigo.
Obrigado aos muitos que, sabendo gostarem de estar presentes, não o puderam fazer, a maior parte por motivos profissionais, alguns por motivos pessoais; estiveram, estou mais que certo, presentes em espírito…
Obrigado aos comentários que ao longo da última semana fui encontrando de apoio a esta iniciativa.
Finalmente, um obrigado especialíssimo ao Paulo e ao Zé, por tudo o que fizeram na organização deste jantar; foram brilhantes e a ideia, linda, de oferecerem a cada um dos presentes uma recordação, feito com o seu cunho pessoal, já sobejamente conhecido e admirado, foi tocante.


Às duas horas saí, pois ainda não estou a 100% e quando depois de ter deixado o Paulo no Cacém, cheguei a casa perto das três, liguei ao Déjan, conforme previamente tinha combinado com ele para dizer que estava tudo bem comigo; julgava que o ia acordar, pois eram 4 horas em Belgrado, mas ele, mais uma vez me surpreendeu ao dizer-me para ir ao MSN pois queria ver-me porque estava acordado à minha espera…É por isso, que a noite não foi completamente perfeita, porque faltaste lá tu, meu amor…







sábado, 19 de abril de 2008

Quem és tu ???


Chegou o dia do jantar. Mentiria se não confessasse que estou ansioso, pois o ano passado foi uma coisa pequena, que correu lindamente, mas este ano alargou-se muito o número de blogs e comentadores conhecidos e foi com a preciosa ajuda do Paulo e do Zé (Felizes Juntos) que conseguimos reunir um apreciável número de pessoas, a maior parte das quais nunca se viram umas às outras. Eu, que até serei uma das pessoas que mais gente já contactei, ou pessoalmente ou por telefone, não conheço a grande maioria; e há quem não conheça ninguém…Mas é nesse ponto que reside um dos factores mais aliciantes deste jantar; já se sabia que qualquer data que fosse escolhida seria boa para uns, má para outros e alguns, devido a factos de última hora ou a escalas que não podem ser alteradas, não poderão estar presentes. Tenho a certeza que haverá pessoas que têm tanta ou mais pena de não estarem presentes como nós; ficará para uma próxima vez. Permitam-me uma palavra especial para os que vêm de fora, pois tiveram que conciliar as suas vidas para estarem presentes.
Uma coisa é certa, podemos não ser 50, mas 40 seremos decerto e alguns mais se juntarão mais tarde, mas vai ser uma noite muito animada.
As notícias chegarão rápidas e penso que em vários blogs.
Até logo, Amig@s.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Porque o saber não ocupa lugar !!!

ALEVANTAR
O acto de levantar com convicção, com o ar de 'a mim ninguém me come por parvo!... alevantei-me e fui-me embora!'.
ASPERGIC
Medicamento português que mistura Aspegic com Aspirina.
ASSENTAR
O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.
CAPOM
Porta de motor de carros que quando se fecha faz POM!
DESTROCAR
Trocar várias vezes a mesma nota até ficarmos com a mesma.
DISVORCIADA
Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.
É ASSIM!
Talvez a maior evolução da língua portuguesa. Termo que não quer dizer nada e não serve para nada. Deve ser colocado no início de qualquer frase. Muito utilizado por jornalistas e intelectuais. ENTROPEÇAR
Tropeçar duas vezes seguidas.
ÊROS
Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.
FALASTES
Articulação na 4ª pessoa do singular. Ex.: eu falei, tu falaste, ele falou, TU FALASTES.
FRACTURAÇÃO
O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial. Casa que não fractura... não predura.
INCLUSIVER
Forma de expressar que percebemos de um assunto. E digo mais: eu inclusiver acho esta palavra muita gira.
Também existe a variante 'Inclusivel'.
A forma mais prática de articular a palavra MEU e dar um ar afro à língua portuguesa, como 'bué' ou 'maning'. Ex.: Atão mô, tudo bem?
NHA
Assim como Mô, é a forma mais prática de articular a palavra MINHA. Para quê perder tempo, não é? Fica sempre bem dizer 'Nha Mãe' e é uma poupança extraordinária.
NÚMARO
Já está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, a qual está em claro desuso. Por mim, acho um bom númaro!
PARTELEIRA
Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.
PERSSUNAL
O contrário de amador. Muito utilizado por jogadores de futebol. Ex.: 'Sou perssunal de futebol'. Dica: deve ser articulada de forma rápida.
PITAXIO
Aperitivo da classe do 'mindoím'.
Prontus Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um 'prontus'! Fica sempre bem. Prutugal País ao lado da Espanha. Não é a Francia.
QUAISE
Também é uma palavra muito apreciada pelos nosso pseudo-intelectuais. Ainda não percebi muito bem o quer dizer, mas o problema deve ser meu.
STANDER
Local de venda. A forma mais famosa é, sem dúvida, o 'stander' de automóveis.
O 'stander' é um dos grandes clássicos do 'português da cromagem'.
TIPO
Juntamente com o 'É assim', faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo. É assim... tipo, tás a ver?
TREUZE
Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Os cães ladram e a caravana passa...


Esta é uma carta de uma professora de Barcelos sobre certas opiniões de um "filho desnaturado" de uma grande Senhora da cultura portuguesa, a "nossa" Sophia, de seu nome Miguel Sousa Tavares ( o apelido do pai também não lhe "cai" muito bem...)



"É do conhecimento público que o senhor Miguel de Sousa Tavares considerou “os professores os inúteis mais bem pagos deste país.” Espantar-me-ia uma afirmação tão generalista e imoral, não conhecesse já outras afirmações que não diferem muito desta, quer na forma, quer na índole. Não lhe parece que há inúteis, que fazem coisas inúteis e escrevem coisas inúteis, que são pagos a peso de ouro? Não lhe parece que deveria ter dirigido as suas aberrações a gente que, neste deprimente país, tem mais do que uma sinecura e assim enche os bolsos? Não será esse o seu caso? O que escreveu é um atentado à cultura portuguesa, à educação e aos seus intervenientes, alunos e professores. Alunos e professores de ontem e de hoje, porque eu já fui aluna, logo de “inúteis”, como o senhor também terá sido. Ou pensa hoje de forma diferente para estar de acordo com o sistema?
O senhor tem filhos? – a minha ignorância a este respeito deve-se ao facto de não ser muito dada a ler revistas cor-de-rosa. Se os tem, e se estudam, teve, por acaso, a frontalidade de encarar os seus professores e dizer-lhes que “são os inúteis mais bem pagos do país.”? Não me parece… Estudam os seus filhos em escolas públicas ou privadas? É que a coisa muda de figura! Há escolas privadas onde se pagam substancialmente as notas dos alunos, que os professores “inúteis” são obrigados a atribuir. A alarvidade que escreveu, além de ser insultuosa, revela muita ignorância em relação à educação e ao ensino. E, quem é ignorante, não deve julgar sem conhecimento de causa. Sei que é escritor, porém nunca li qualquer livro seu, por isso não emito julgamentos sobre aquilo que desconheço. Entende ou quer que a professora explique de novo?
Sou professora de Português com imenso prazer. Oxalá nunca nenhuma das suas obras venha a integrar os programas da disciplina, pois acredito que nenhum dos “inúteis” a que se referiu a leccionasse com prazer. Com prazer e paixão tenho leccionado, ao longo dos meus vinte e sete anos de serviço, a obra de sua mãe, Sophia de Mello Breyner Andersen, que reverencio.

O senhor é a prova inequívoca que nem sempre uma sã e bela árvore dá são e belo fruto. Tenho dificuldade em interiorizar que tenha sido ela quem o ensinou a escrever. A sua ilustre mãe era uma humanista convicta. Que pena não ter interiorizado essa lição! A lição do humanismo que não julga sem provas! Já visitou, por acaso, alguma escola pública? Já se deu ao trabalho de ler, com atenção, o documento sobre a avaliação dos professores? Não, claro que não. É mais cómodo fazer afirmações bombásticas, que agitem, no mau sentido, a opinião pública, para assim se auto-publicitar.
Sei que, num jornal desportivo, escreve, de vez em quando, umas crónicas e que defende muito bem o seu clube. Alguma vez lhe ocorreu, quando o seu clube perde, com clubes da terceira divisão, escrever que “os jogadores de futebol são os inúteis mais bem pagos do país.”? Alguma vez lhe ocorreu escrever que há dirigentes desportivos que “são os inúteis” mais protegidos do país? Presumo que não, e não tenho qualquer dúvida de que deve entender mais de futebol do que de Educação. Alguma vez lhe ocorreu escrever que os advogados “são os inúteis mais bem pagos do país”? Ou os políticos? Não, acredito que não, embora também não tenha dúvidas de que deve estar mais familiarizado com essas áreas. Não tenho nada contra os jogadores de futebol, nada contra os dirigentes desportivos, nada contra os advogados. Porque não são eles que me impedem de exercer, com dignidade, a minha profissão. Tenho sim contra os políticos arrogantes, prepotentes, desumanos e inúteis, que querem fazer da educação o caixote do ( falso) sucesso para posterior envio para a Europa e para o mundo. Tenho contra pseudo-jornalistas, como o senhor, que são, juntamente com os políticos, “os inúteis mais bem pagos do país”, que se arvoram em salvadores da pátria, quando o que lhes interessa é o seu próprio umbigo.
Assim sendo, sr. Miguel de Sousa Tavares, informe-se, que a informaçãozinha é bem necessária antes de “escrevinhar” alarvices sobre quem dá a este país, além de grandes lições
nas aulas, a alunos que são a razão de ser do professor, lições de democracia ao país. Mas o senhor não entende! Para si, democracia deve ser estar do lado de quem convém.
Por isso, não posso deixar de lhe transmitir uma mensagem com que termina um texto da sua sábia mãe:

“Perdoai-lhes, SenhorPorque eles sabem o que fazem.”


Ana Maria Gomes

Escola Secundária de Barcelos

domingo, 13 de abril de 2008

Coming Out


Este texto veio publicado na já várias vezes referida revista espanhola “ZERO”; é evidente que é um texto de opinião e não um manual do que se deve fazer para, nas situações de gente menos jovem (30/40 anos), fazer o seu “coming out”; e daí poder haver aspectos com os quais se concorda mais, ou menos; mas parece-me que no seu conjunto, deste texto se pode tirar algo de muito útil. Por isso aqui o publico.


“Já tens 30 ou 40 anos e ainda não disseste nada aos teus pais? Acreditas mesmo que eles não o sabem? Se assim é? Por que razão continuar a ocultar-lhes? Quantos Natais mais te vão perguntar se já tens namorada, sabendo eles que não saíste com nenhuma nos últimos 15 anos?
Muita gente não pode ou não quer dizer aos seus pais que são gays ou lésbicas. Vão protelando indefinidamente, com enormes custos pessoais e para todos os membros da família. Sempre ocultando a realidade da sua própria sexualidade, das eventuais ligações sentimentais que tenham, das preocupações afectivas. Cria-se um muro de incomunicabilidade, que leva a que as visitas a casa, os telefonemas, as perguntas interessadas ou curiosas, sejam tomadas como ameaças, quase. E as pessoas acabam por se distanciar desnecessariamente, mutilando uma parte da sua vida.
O melhor será dizê-lo quanto antes e para isso haverá que ter em conta, alguns aspectos:
1) – Mesmo que os pais condenem abertamente a homossexualidade, isso não significa, que no seu caso pessoal, não aceitem o “seu filho” como tal;
2) – Para os pais, a homossexualidade do seu filho, pode parecer-vos um segredo, mas apenas eles se calam por pudor ou por não querer ferir o filho, preferem não perguntar directamente e esperam que seja este a levantar a questão;
3) – Podem saber e não saber, ao mesmo tempo, preferindo nem pensar no assunto;
4) – Quando se lhes diz, enfrentam o que já temiam e não se pode pretender que a resposta imediata seja de aceitação, mas sim de dor, irritação, confusão…
5) – Há, todavia, pais que rejeitam os seus filhos da sua convivência; mas isso não significa que a causa esteja perdida; há que procurar formas para que eles acabem por aceitar o facto;
6) – Eles têm por vezes, que fazer um duelo com eles próprios, pela perda do “filho heterossexual” e pelos projectos que isso implicava;
7) – Se uma pessoa é maior e independente, deve dizê-lo, mesmo sabendo que os seus pais serão contra. Ao menos ganha-se auto-estima, segurança em si próprio, no sentido de que se tem direito a viver e a ser pessoa; não se pode renunciar a esse direito, por medo de que os nossos pais se aborreçam; eles não são os únicos que importam…
8) – Podem aproveitar-se situações especiais, como por exemplo quando se vai passar o Natal com a família, para fazer essa comunicação ao vivo e não por telefone, procurando até o apoio de algum familiar mais chegado; mas não se deve fazê-lo no último dia, pois os pais devem ter tempo para digerir o assunto e poder questionar sobre mais detalhes: estilo de vida, amigos, ligações afectivas, o medo da Sida…
9) – Há que ter respostas preparadas sobre a homossexualidade: que não é uma doença, que somos normais, que é uma maneira de ser e não algo que se escolhe, que não é culpa de ninguém, que não é uma tara, vício, pelo que não há que tratá-la devido a não ser uma doença; que não é algo passageiro ou do qual se duvide; e se necessário, pode referir-se algum livro explicativo, para que o possam ler;
10) – Não dizê-lo nunca, é um indício da nossa própria homofobia interiorizada e portanto da dificuldade para poder ser plenamente feliz, como gay: Se eu não me aceito, jamais poderei viver uma vida plena.”

sábado, 12 de abril de 2008

Meu fado meu

É já conhecida a versão portuguesa da canção "Oro", muito bela, que irá representar a Sérvia no Festival da Eurovisão, a realizar este ano em Belgrado, devido à justa vitória daquele país no ano passado; é curioso notar que as únicas versões feitas daquela canção foram em línguas de países que não reconheceram a independência do Kosovo: além da portuguesa, há versões em espanhol, grego e russo.
Pois, o Déjan indicou-me ontem uma outra canção, na voz de Jelena Radan, da Dalmácia, actualmente no território croata, e no qual está Zadar, a cidade natal do Déjan.
É um fado, e está muito bem cantado, embora se note a falta da guitarra portuguesa; foi com muita emoção que ouvi este fado, até porque a letra tem muito a ver connosco (o Déjan e eu).


quinta-feira, 10 de abril de 2008

Carta de amor e a viajem do cu







Querido,
Estou a escrever esta carta para dizer que te vou deixar para sempre.
Fui uma boa mulher para ti durante sete anos e não tenho nada a provar.
As duas semanas passadas foram um inferno, o teu chefe chamou-me para dizer que te tinhas demitido e isto foi a última gota.
Na semana passada, chegaste a casa e não notaste que eu tinha um novo penteado e tinha ido à manicura.
Cozinhei a tua refeição preferida e até usei uma nova lingerie.
Chegaste a casa, comeste em dois minutos e foste dormir depois de ver o jogo.
Não me dizes que me amas, nunca mais fizemos sexo.
Ou me estás a enganar ou já não me amas mais, seja qual for o caso, vou-te deixar.
A tua Ex-mulher
P.S - Se me quiseres encontrar, desiste. O teu IRMÃO e eu vamos viajar para as Bahamas e casar!
..........................................................................................................................................................................
Querida ex-mulher.
Nada me fez mais feliz do que ler a tua carta.
É verdade que estivemos casados durante sete anos, mas dizeres que foste uma boa mulher é exagerar.
Vejo futebol para tentar não te ouvir a resmungar a toda a hora.
Assim não valia a pena.
Realmente reparei que tinhas um novo penteado na semana passada, a primeira coisa que me veio à cabeça foi 'Pareces um homem!'.
Mas a minha mãe sempre me disse para não dizer nada que não fosse bonito.
Quando cozinhaste a minha refeição preferida, deves ter confundido com a do MEU IRMÃO, porque deixei de comer porco há sete anos.
Fui dormir porque reparei que a lingerie ainda tinha a etiqueta do preço. Rezei que fosse uma coincidência o meu irmão ter-me pedido emprestado 50,00 EUR e a lingerie ter custado 49.99 EUR.
Depois de tudo disto, eu ainda te amava e senti que podíamos resolver os nossos problemas.
Assim quando descobri que eu tinha ganho o Euromilhões, deixei o meu emprego e comprei dois bilhetes de avião para a Jamaica.
Mas quando cheguei a casa já tinhas ido.
Tudo acontece por alguma razão.
Espero que tenhas a vida que sempre sonhaste.
O meu advogado disse-me que devido à carta que escreveste, não vais ter direito a nada. Portanto cuida-te.
Assinado: Milionário e Solteiro
P.S. - Não sei se eu alguma vez te disse isto mas o Carlos, o meu irmão,nasceu Carla. Espero que isto não seja um problema.
__________////////_________////////_________////////_________///////________

O cu resolveu dar uma volta pelo interior do corpo, chegou ao pâncreas e disse: - Olá pâncreas, eu sou o cu.
Prazer em conhecê-lo, o senhor é muito simpático.
Subiu mais um pouco e chegou ao fígado: - Olá fígado que satisfação em conhecê-lo, eu sou o cu. Passa lá em casa um dia destes.
E assim foi com todos os órgãos até chegar ao coração. O cu apanha o coração a jeito, começa-lhe a apertar as artérias, dá-lhe uma valente surra até o desgraçado do coração conseguir perguntar-lhe assustado:
- Oh cu, foste tão gentil com todos os outros e comigo tratas-me desta maneira? O cu respondeu: - Pois é, filho da puta. Apaixonas-te pela pessoa errada e eu é que me lixo!




terça-feira, 8 de abril de 2008

Poema com dedicatória


"Sem pedir licença, levar-te-ei até à cama…
Tocar-te-ei em todo o teu corpo e possuir-te-ei…
Vou-te deixar com uma enorme sensação de cansaço e entrega total…
Lentamente vou-te fazer sentir arrepios, fazer-te suar profundamente.
Deixar-te-ei ofegante, tirar-te-ei o ar…e a tua cabeça pulsará.
Da cama não conseguirás sair!
E quando terminar, irei embora sem me despedir, com a certeza que voltarei! "



(Este poema, cujo autor desconheço, quero dedicá-lo a dois amigos que escrevem bela poesia, quer em verso, quer em prosa - para o Manuel e para o SP.)

domingo, 6 de abril de 2008

Charlton Heston


O actor Charlton Heston, uma das últimas lendas vivas de Hollywood, morreu sábado na sua casa de Beverly Hills, anunciou hoje a sua família em comunicado. Charlton Heston, que se notabilizou graças a papéis heróicos em super-produções como "Ben Hur" ou "Os Dez Mandamentos", faleceu aos 84 anos de idade.
Na década de 1960 utilizou o seu protagonismo para defender causas relacionadas com os direitos humanos, tendo acompanhado mesmo Martin Luther King durante a Marcha pelos Direitos Civis a Washington, em 1963, usando uma faixa onde se lia "Todos os homens nascem iguais".
Em 1998, exactamente 20 anos depois de ter participado num debate televisivo onde pediu apoio ao presidente Lyndon Johnson na sua tentativa de controlar a venda de armas nos Estados Unidos, rodeou-se de alguma polémica ao tornar-se presidente da National Rifle Association, um dos mais poderosos lobbies para a liberalização de armas no país.

sábado, 5 de abril de 2008

Jantar de bloguistas - 2


Após o acolhimento francamente positivo da iniciativa comum do Felizes Juntos e minha, da realização de um jantar reunindo bloguistas, vimos agora dar algumas “dicas” sobre o assunto. A data, é claro que se mantém, sábado dia 19 de Abril e o local escolhido (obrigado Kokas pela ideia) foi o restaurante Caruso, situado no Pátio Bagatella, perto do Jardim das Amoreiras, (ver o esquema do Google Earth) no Felizes Juntos; há um parque de estacionamento exactamente junto ao Pátio.
A ementa e respectivas bebidas serão escolhidas do menu e pensa-se que o preço será entre 15/20 euros por pessoa; claro que as bebidas consumidas antes do jantar (aperitivos) e no final (digestivos) serão da responsabilidade de quem as pedir e serão pagas no acto da entrega. A hora de “concentração” será às 19, e o jantar será às 20 horas; assim haverá tempo de alguma conversa e de esperar por alguém mais atrasado…
O local é bom, a lista bastante apetitosa e apesar de sermos muitos – apontamos para cerca de 50 pessoas –ficaremos bem instalados e seremos bem servidos.
Pedimos que nos confirmem a vossa presença ou para os nossos mails respectivos ou nos comentários de ambos os blogs. O traje, esse fica completamente ao vosso gosto…
Acreditamos qie irá ser uma noite memorável.

O Grande chefe - Jomba

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Mulheres...

Uma loira é sempre uma loira...
Volta, Jane Birkin, estás perdoada.


Contra os gays, vale tudo, até esta publicidade "enganosa"...

quarta-feira, 2 de abril de 2008

terça-feira, 1 de abril de 2008

...do Amor


Nos blogs de habitual leitura, dois recentes posts, me chamaram uma especial atenção, pois embora diferentes entre si, versam o mesmo assunto, o Amor.
Num deles, o X faz uma declaração de amor soberba ao seu namorado, a propósito do primeiro aniversário do seu conhecimento, e nas suas palavras, belas, sentidas, comoventes, senti o que sei existir em vários outros blogs amigos, em que é frequente lerem-se demonstrações dos afectos que têm pelos seus amores. Outros há que não sendo tão evidentes nessa eloquência sentimental, demonstram por pequenos apontamentos, que estão ligados por esse sentimento, de que todos necessitamos; não é sequer necessário falar em nomes e até seria deselegante da minha parte referi-lo. Também há aqueles que vão falando dos seus amores falhados ou passados, e que através de um blog, tantas vezes libertam o grito, que lhes está aprisionado na alma; e há finalmente aqueles, tantos, que muitas vezes, de formas “figuradas”, mostram a sua solidão e a necessidade, algumas vezes ansiosa de encontrar “aquela pessoa”.
No outro post, o Luís, a propósito de um filme, menciona uma pergunta no final do texto, tão pertinente, como de difícil resposta: “será que é mais importante a paz que o Amor”? No meu comentário respondi quase sem hesitação que era mais importante o Amor; mas há que pôr reservas, pois só concordo se o Amor for consolidado, e que o sendo transporta consigo mesmo a paz; o amor sob a capa da paixão, da instabilidade, da não correspondência, da dependência, não é o Amor verdadeiro e aí, já a paz ganha terreno.
Tudo isto para dizer, que na blogosfera, o Amor é um assunto essencial, visto de mil e uma maneiras, mas nunca negligenciado.
E, olhando para mim próprio, que sou extrovertido e tenho o coração ao pé da boca, como costuma dizer-se, quase me apetecia ter um segundo blog, apenas dedicado ao meu amor, tanta a vontade de lhe dizer a toda a hora, quanto lhe quero, quanto necessito dele e quão feliz me sinto por amá-lo e sentir a sua reciprocidade. Este post , mais uma vez, Déjan, é a ti que o dedico.

I love you, I need you, I miss you, I want you!!!