segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Josef Albers


Josef Albers (Bottrop, 1888 — New Haven, 1976), nasceu na Alemanha e foi professor de escola primária de 1908 até 1913.
Mudando a sua orientação, estudou na Königliche Kunstschule em Berlim de 1913 a 1915, tendo sido aprovado como professor de arte.
Albers estudou então Belas Artes em Essen e München – até que entrou na Escola Bauhaus*, em Weimar, no ano de 1920.
Na Bauhaus, Albers concentrou-se inicialmente na pintura sobre vidro.
Em 1923, quando Johannes Itten foi convidado a sair, Albers passou a leccionar oVorkurs, o Curso Preliminar de iniciação na Bauhaus .
Quando a Escola Estatal se mudou para Dessau em 1925, foi contratado como professor.
Além de trabalhar com vidro e metal, desenhava móveis e tipografia.
Em 1925, Josef Albers assume a responsabilidade pelo curso preliminar.
Os exercícios que concebe mostram uma mudança em relação a Moholy-Nagy e a Gropius: apesar de serem uma reinterpretação de exercícios de anos anteriores, de Johannes Itten e Moholy-Nagy, introduzem o tema do “estudo das forças internas e das possibilidades práticas dos materiais”.
Como afirma Albers, é uma transição da colagem para a montagem.
O «lúdico» de Itten passa a ser uma «investigação tecnológica».
Quando Moholy-Nagy saiu da Bauhaus em 1928, Albers dirigiu o Vorkurs completo, continuando a treinar os estudantes a usar diferentes materiais.

*A Staatliches-Bauhaus foi uma escola de design, artes plásticas e arquitectura de vanguarda na Alemanha. A Bauhaus foi uma das maiores e mais importantes expressões do que é chamado “Modernismo”, no design e na arquitectura, sendo a primeira escola de design do mundo.


















12 comentários:

  1. ||||||
    Gosto muito deste tipo de arte.
    Mais uma contribuição no teu blogue para a divulgação cultural
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João
      é diferente de tudo o que tenho posto. Há mais pintores (não muitos) que transportam para as suas telas não as pinturas chamadas "normais", mas de outro tipo e é bom revelá-los.
      Abraço amigo.

      Eliminar
  2. e eu gostei de conhecer mais este artista. sabes que a pintura não é o meu forte, mas esta escola é famosa. e adorei as escolhas.
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Margarida
      eu sei disso e até me admiro bastante com o teu comentário, mas a razão é a especificidade dos temas pintados por Albers.
      Quanto às escolhas, tens razão; aparecem-me dezenas e dezenas de telas e eu tenho que seleccionar um número reduzido - por vezes é complicado optar...
      Beijinho.

      Eliminar
  3. Já aprendi mais alguma coisa, como sempre que passo neste canto :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Francisco
      é sempre bom saber isso.
      Abraço amigo.

      Eliminar
  4. gostei muito, sobretudo dos dois primeiros quadros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Miguel
      se seleccionei estes é porque gosto particularmente deles, mas dentre eles as minhas preferências vão para o primeiro e penúltimo.
      Abraço amigo.

      Eliminar
  5. Não é o meu estilo de eleição, embora seja um apreciador de pintura. Gostei, entre outras, de penúltima tela.

    um abraço, amigo.

    ResponderEliminar
  6. Mark
    também eu, como aliás referi no meu comentário para o Miguel, gostei muito da penúltima tela.
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  7. Não fazem muito meu estilo, mas não nego ter uma certa atração esse tipo de pintura.

    Existe certa beleza em tudo, não é mesmo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Margot
      sê bem vinda a este meu espaço.
      Estou a divulgar os pintores americanos modernistas e chegou agora a vez deste muito original Josef Albers.
      Não será de imediato apelativo, mas tem qualquer coisa que mexe connosco...
      Beijoquita.

      Eliminar

Evita ser anónimo, para poderes ser "alguém"!!!