domingo, 17 de agosto de 2014

Um Beijo Surrealista


Sem palavras, que são supérfluas, apenas com o som maravilhoso de Brahms.

22 comentários:

  1. Respostas
    1. Ro
      espero que continue sempre a inspirar-nos...
      Abraço.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. É sim, Rosa, muito bela, mesmo...
      Beijinho.

      Eliminar
    2. Obrigada pelo comentário no blog. É bonito, sim; e muito meigo. Foi abandonado com 2 meses e, desde essa altura, que está connosco. Mais uma vez, obrigada.

      Eliminar
    3. Olá Rosa
      embora goste muito de cães, prefiro os gatos. Têm uma personalidade muito própria, são amigos e não dão trabalho nenhum.
      Beijinho.

      Eliminar
    4. Nunca tive gatos. Meus pais tiveram um gato preto chamado TUPI. Meu pai adorava gatos (principalmente os pretos), justamente pela personalidade. Não cheguei a conhecê-lo mas ouvi sempre meus pais falarem do seu carinho, independência, e da sua convivência com os cães da casa. Adorava um pastor alemão mas não gostava de um fox terrier; nunca chegaram a brigar mas, simplesmente, não ocupavam o mesmo espaço. Não sei se seria uma boa "dona" de gatos pois não sei se saberia respeitar a sua independência... Quem sabe um dia... um gato me adopte...

      Eliminar
    5. Rosa
      sim, são muito diferentes; mas isso não significa que um gato não goste do dono, eles como tiu muito bem referes "adoptam-te" também, mas necessitam do seu espaço, não são tão carentes como um cão.
      Beijinho.

      Eliminar
    6. Tens toda a razão. E o gato em questão gostava tanto do meu avô paterno que mudou radicalmente depois da morte dele. Passado pouco tempo, também veio a morrer.
      Beijinho.

      Eliminar
    7. Rosa
      só mais uma questão sobre os gatos. Eu tenho sempre dois, e embora de início haja uma natural reserva entre os dois, depois é muito salutar o convívio entre eles e é óptimo para os tempos em que estão sós em casa,
      Há anos quando um morreu, o outro estava a ir-se completamente abaixo, quando ficou só e apenas arribou com a chegada de um novo.
      Beijinho.

      Eliminar
  3. Pela arte é que nos salvamos...pelo menos de depressões profundas!!
    Que bem se está aqui, ao som desta música :-)
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Justine
      tens toda a razão. Uma boa melodia e a contemplação da Beleza afugentam qualquer depressão.
      Beijinho.

      Eliminar
  4. Sublime! Lindo! Inspirador! Não tenho mais adjectivos.
    Obrigado João, por nos trazeres maravilhas destas.

    Um abraço com amizade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lear
      é muito simples; o belo partilhado ficas sempre engrandecido e dá um prazer imenso.
      Abraço amigo.

      Eliminar
  5. Palavras para quê, João?

    Só tenho a agradecer-te estes momentos de extrema doçura e paz interior.

    Belíssima partilha e que bem me fez vir visitar-te!

    Um beijinho amigo.

    Janita

    ResponderEliminar
  6. Olá Janita
    não há nada melhor que a paz interior, já que a exterior é cada vez mais utópica.
    Deixemos-nos pois levar pela beleza da música e da imagem...

    ResponderEliminar
  7. que linda ilustração! linda mesmo! obrigado por compartilhar! abs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. HH e Pai
      fico muito satisfeito por esta postagem tão simples estar a agradar tanto.
      Abraço amigo.

      Eliminar
  8. Uma imagem engraçada, muito dalíana, de facto.

    um abraço.

    ResponderEliminar
  9. Mark
    dalíana? Nunca a liguei ao estilo de Dali, mas a interpretação de fotos e telas é sempre muito subjectiva,
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar

Evita ser anónimo, para poderes ser "alguém"!!!