domingo, 5 de abril de 2009

"O João partiu"


Tomei conhecimento com o Catatau, como comentador do meu blog, logo no início do mesmo, no final de 2006. Conheci finalmente o João Manuel no jantar do ano passado, no final de Abril, tendo ficado bem na minha frente, para podermos finalmente conversar, cara a cara, tanta coisa que tinha ficado pendente nos nossos comentários; voltei a encontrá-lo num simpático almoço, com o Paulo e Zé, a Keratina e o Tong, em Alvalade.

Depois foi a enorme surpresa de o ter à minha espera e do Déjan, quando chegámos ao Porto, em Junho  e convivemos num maravilhoso jantar no cais de Gaia; finalmente, quem diria encontrámo-nos no inesquecível pic-nic das Caldas, em Julho.

Pouco tempo depois, numa das nossas habituais conversas telefónicas foi curto e duro:

“João, tenho um tumor”. Fiz um post sobre o assunto sem revelar o assunto…

Comecei a contactar os seus amigos mais íntimos, o Tong, o Paulo e o Zé, a Keratina, o Lampejo, a Duxa, e fomos acompanhando a sua doença com telefonemas de apoio, sabe-se lá as vezes em que tivemos de ser fortes para não trair o nosso pessimismo.

Desde o seu último internamento, fiquei perfeitamente ciente que o João nos iria deixar em breve, mas nunca tão cedo; no entanto, liguei-lhe na véspera da minha recente viagem a despedir-me e tive que finalizar apressadamente a conversa, pois ele estava tão cansado após falar 2 minutos, que não conseguia dizer mais nada.

Desde o meu regresso, na terça feira que tinha andado a adiar o telefonema a comunicar que já cá estava; mas hoje(ontem), falando com o Paulo à hora do almoço, ele comunicou-me que tinha falado com ele na véspera e que ele quase não podia falar e estava a receber oxigénio; resolvi ligar-lhe de imediato e mal percebi o que me disse, apenas percebi “beijo, adeus”. Quando desliguei, segundos depois, não contive as lágrimas e procurei o conforto do Paulo, da Keratina e do Tong, e a todos comuniquei que me tinha soado a despedida esse telefonema; tentei, em vão contactar o seu companheiro, J., mas ele ligou-me perto das oito da noite, lavado em lágrimas a comunicar-me que tinha vindo do I.P.O. e que o João o não tinha reconhecido, e que o seu estado se agravara nas últimas horas, irremediavelmente; procurei incutir-lhe ânimo e pedi para me ir pondo ao corrente da situação; não demorou um quarto de hora quando me voltou a ligar dizendo apenas: “O João partiu!”

Liguei aos amigos de sempre a comunicar o que não queria ter comunicado…

 

Que mais posso dizer do Catatau? Apenas que era um Amigo, um Amigo muito querido; uma pessoa com uma cultura muito acima da média, eclético, que era sem sombra de dúvida o mais completo comentador que conheci na blogosfera; tinha um coração doce e uma energia contagiante, era também um Homem que acreditava na vida  e tinha o condão de o saber mostrar.

Sofreu muito, mesmo muito, e apenas o fim desse martírio me alivia minimamente a dor que sinto.

 

Deixo aqui algumas passagens por ele deixadas nos comentários feitos neste blog e deixo esta foto, que hesitei em pôr aqui e foi tirada na última vez que o vi, no jantar do cais de Gaia; mas ele está tão bem, tão feliz, que é esta imagem que eu quero recordar dele.

Descansa em paz, João!!!

------------------------------------------------------------------///.................................................................

“Sabes? Não tenho medo de envelhecer fisicamente (acho que estou melhor agora do que aos vinte), tenho é muito medo da velhice incapacitante, seja motora ou psicológica. Da velhice que me envergonhe, que dê trabalho aos outros, que faça de mim um imprestável.” 

 

“Os amigos, tenham eles a cara e o corpo que tenham, são sempre o nosso tesouro privado. E principalmente são significantes!”

 

 

“ Vai, rapaz, vai nas asas do vento ter com o ar que respiras!”

 

 

 

“Faz sentido a tua análise da comunidade blogueira. Já cá ando há tempo suficiente para perceber de que são feitos os blogs. Acima de tudo são uma intenção aberta a um outro que é plural. E como de pluralidade se trata, é natural que se formem "públicos", que se estabeleçam afinidades, cumplicidades e (lá vou eu escrever uma palavra que cada vez gosto menos de usar pela desbragada parolice com que a usam) afectos.
Assim, para todos os que navegam, há os imprescindíveis, os imperdíveis, os habituais, os de corpo presente, os que despertam curiosidade, os pet hate (para masoquistas), enfim, dependendo do tempo e da paciência, há-os para todas as ocasiões, gostos, áreas, pró menino, prá menina e para tod@s.
Mas sabes o que sempre me seduziu na blogosfera? Imaginar uma pessoa do lado de lá que quer partilhar com quem desconhece um mundo real ou fictício. Saber que através dos comentários ela tem feed-back. Ela dá-me (o que quer que seja), mas eu também lhe dou (o que me vier aos dedos). Os dois desobrigados, num laço virtual que pode evoluir ou não. Que pode quebrar, fossilizar, seduzir ou tornar-se parte integrante do quotidiano dos dois. Um laço familiar, portanto.”

 

“Tenho amor, não tenho palavras (era só o que me apetecia agora dizer). 
Mas digo mais: tenho um amor agarrado ao coração vai para 14 anos. Deus queira que me não falhem os batimentos por muito tempo. E se falharem, que ele possa ficar ali - abrigado - à espera de o viver mais um segundo. À espera de o viver mais um momento.

 

 

©Todos os direitos reservados
A utlilização dos textos deste blogue, qualquer que seja o seu fim, em parte ou no seu todo, requer prévio consentimento do seu autor.

93 comentários:

  1. Comovente, amigo Pinguim. Uma perda é sempre dolorosa e quando se trata de um amigo, de um familiar perdemos um bocadinho de nós. Li o post por inteiro e ainda fiquei a gostar mais de ti. Se isso é possível!

    Bem-hajas!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Isabel
    Para quem não conheceu o Catatau fica apenas o registo da perda de um Amigo, o que é já por si, doloroso; mas quem o conhecesse, reconheceria nele um ser humano excepcional e um "escritor" de mérito.
    O João foi o primeiro Amigo que conheci na blogosfera a partir e posso dizer-te que há mesmo grandes amizades aqui criadas, primeiro virtuais, depois reais e que extravasam totalmente o âmbito dos blogs - o Catatau é o exemplo disso.
    Beijinhos e obrigado pelas tuas palavras.

    ResponderEliminar
  3. Caro Pingú:
    ainda na 6ª feira falavamos do Joao, da pessoa maravilhosa que me parecia ser e que tu proprio me confirmaste ser...é realmente uma perda, mas a vida é assim mesmo, mas uma coisa te digo, as pessoas partem fisicamente mas se as mantivermos no CORAÇÃO, elas serão eternas companhias e presenças...
    Um forte abraço para ti e outro muito forte e apertado ao seu companheiro J.(que apesar de não o conhecer, sei perfeitamente a dor que estará a passar)

    ResponderEliminar
  4. Nao sei o qeu dizer...nao tenho palavras...nao o conheci pessoalmente...conheci-o atraves do hydra-blog onde ele costumava passar e deixar um comentario...

    Os elogios que lhe teceste, realmente era a impressao que tinha dele dado o que lhe lia nas palavras....

    E ja esta semana no meio das minhas correrias, de repente a palavra Catatau veio-me a cabeca...sem saber porque...e a indagar-me por onde ele andaria que nunca mais o tinha lido....

    E agora qd li este teu post....mesmo sem o conhecer repito, nao consegui conter as lagrimas....

    Puta de doenca pa, que nos leva na flor da idade!!!!

    There's another star in the sky...!

    Abraco grande!

    ResponderEliminar
  5. Nestas ocasiões faltam-me as palavras, por inúteis. São sempre as memórias (mesmo q dolorosas) que nos sustêm Abraço apertado

    ResponderEliminar
  6. e esta é a história possível. do teu encontro com este homem fantástico, culto, bonito, enérgico, sorridente e bem disposto, como o que aparece na foto que aqui publicas. e essa é e será sempre a imagem com o que o recordarei. tudo o resto é muito trágico e rápido, a lembrar-nos que o abismo se percorre depressa. tinha de haver maneiras mais fáceis de partir. ainda lhe quis dizer que fosse para onde fosse, nós NUNCA o esqueceríamos. mas mesmo na sexta-feira, ainda tentei enganar-me e enganar a minha intuição e o meu medo de que o pior podia estar para breve. quando me confirmaste, maldisse a minha intuição e a tristeza que ontem me invadiu desde a manhã, como se já soube. antes disto tudo, queria tê-lo abraçado, afagado o rosto, despedido como deve ser. mas a imagem que preservo ainda é a do piquenique. e chego à conclusão de que nunca há despedidas como deve ser. como costumo pensar, espero que tenha ido para um lugar bem melhor que este, longe da dor que tanto o infligiu!
    as palavras que seleccionaste dele dão bem conta da integridade e proximidade que tinha de ti! mas inclusive por elas, o João nunca morrerá, mesmo que, traindo-lhe a vontade, lhe tenham falhado os batimentos, como ele afirma no último comentário que aqui apresentaste. tenho a certeza de que sentiremos muita a falta dele, que a sua ausência nos pesará.

    um grande abraço!

    ResponderEliminar
  7. Vieram-me as lágrimas aos olhos. Acho que há muitas coisas na vida com as quais vou aprendendo a lidar com o passar dos tempos, mas nunca com a morte.
    E o teu post amigo está tão lindo, tão comovente! Era sem dúvida (pelo que aqui li) um grande homem, e custa ver que teve que sofrer assim tanto.. É triste e doloroso ver assim alguém que nos é tão querido partir, mas há que ao menos pensar que agora está bem melhor do que estava aqui.
    E ganhaste mais uma estrelinha lá em cima amigo. E não duvido que ele tenha mesmo muito orgulho em todos vós, que o acompanharam sempre.

    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  8. Conheci o João, falei com ele algumas vezes durante o período da estúpida doença e fiquei chocado, por tudo...Merda de vida!

    ResponderEliminar
  9. Conheço o Catatau desde que iniciei o blog. Pessoalmente apenas o conheci o ano passado durante o almoço. Há muito que não "ouvia" nada dele e não fazia ideia do porquê. Lamento muito. Os meus pêsames ao seu companheiro e um grande abraço para ti, companheiro.

    ResponderEliminar
  10. Pinguim,"Os amigos são o nosso tesouro privado". E como tal guardarás o teu amigo dentro do teu coração.
    Um beijo solidário.

    ResponderEliminar
  11. Querido J. perdemos fisicamente um grande amigo, uma pessoal excepcional, um ser estupendo, que nos marcou para sempre.
    Viverá para sempre dentro de cada um de nós.

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  12. Não tenho palavras. É muito triste.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  13. João
    muito, muuito obrigad apela lind ahomenagem que prestaste ao catatau. Conheci-o e por isso fiquei chocada com a sua morte.
    Acompanhei d eperto familiares com cancro, imagino o sofriemnto deles. Que Deus o tenha num bom lugar; agora ele terá paz
    Um bjs
    e até sempre catatau!

    ResponderEliminar
  14. Amigo Pinguim,
    De facto, há coisas estranhas. Há dias, a propósito de um video musical dos FJ, fiquei com um aperto que nem te conto, uma coisa absolutamente irracional. Naturalmente, pensei imediatamente em alguém que me diz muito e não sosseguei até ter a certeza que estava bem.
    E depois, ontem, a notícia do Catatau que eu nunca conheci pessoalmente, mas que, lendo-o ora aqui ora ali, já o fazia nosso.

    Esta altura do ano é-me muito dolorosa por várias razões. Eu perdi o meu pai, com uma doença terrível, e num curto espaço de tempo, por estes dias.

    Quando associo todas estas peças, cada vez me convenço mais que a única coisa que nos salva é a Vida e a Amizade que sentimos uns pelos outros e que essa Vida tem que ser valorizada. Por todos.
    (Mas é claro que digo isto com os olhos em água)

    Abraço:)

    ResponderEliminar
  15. Amigo pinguim,

    Soube ontem pelo nosso amigo comum do falecimento do vosso querido amigo. Já tinhamos conversado, eu e o lampejo, sobre a situação por que passava o Catatau, a quem eu não conhecia. Lembro-me ainda assim de me "cruzar" com ele "à volta da fogueira".

    A nossa passagem pela vida é isso mesmo, uma passagem. Mas aquilo que me faz doer o coração é pensar no sofrimento a que as pessoas são sujeitas. Ninguém deveria sofrer tanto assim. Fico "feliz" que o Catatau possa descansar em Paz e, para quem fica e, especialmente, ao seu companheiro, uma palavra de muita força e conforto.

    "aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.
    Antoine de Saint-Exupèry

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  16. Quando somos tocados pela presença de bons amigos, nunca nada é em vão!

    E sempre a alma se enche de um sorriso, por termos privado com pessoas assim.


    (E um grande obrigado!)

    ResponderEliminar
  17. Caro Xis
    a vida é cruel por vezes ao impossibilitar-nos do convívio com quem amamos; este ano de 2009 está-me a ser infelizmente demasiado penoso em perdas de pessoas queridas: primeiro a minha irmã, agora o João...
    Há tempos escrevi um texto sobre a inevitabilidade da morte, mas quando ela ronda perto de nós, sentimos uma revolta pela partida, principalmente se ainda havia muito a esperar das pessoas que partem.
    Vamos viver, pois a morte é certa e não traz aviso de recepção, muitas vezes.
    Resta-nos a recordação.
    Abraço enorme.

    ResponderEliminar
  18. Hydra amigo
    tenho muita pena que tu não tivesses conhecido pessoalmente o João, pois conhecendo-vos a ambos, estou certo da fácil sintonia entre vós; é uma das razões que aqui deixo a fotografia de um Homem que irradia entusiasmo e felicidade, mas que tinha momentos de esmeradas e perfeitas opiniões sobre os mais diversos assuntos.
    Já não sofre mais, agora sofremos nós a sua perda.

    Fora do contexto, quero agradecer-te muito o mail que me enviaste; não que eu precisasse do teu testemunho, mas é sempre bom quando nos vemos reconhecidos...

    Abraço grande e amigo.

    ResponderEliminar
  19. S.M.
    sim, tens razão, faltam as palavras; ficam as palavras...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  20. Paulo
    já dissemos tanto um ao outro sobre esta perda que é quase repetitivo qualquer argumento mais...
    Apenas quero aqui deixar a frase que fica junto aos nossos nomes, na coroa que a Duxa deixou na igreja do Carvalhido; é extremamente curta e diz apenas: "GOSTAMOS DE TI"!.
    A autoria não é minha, mas sim do Luís (Gayfield), apenas a aprovei sem reservas...
    Abraços reforçados

    ResponderEliminar
  21. Sandrinha
    infelizmente ao longo da tua vida vais ter que aprender a lidar com ela; somos mortais e assim, a sua inevitabilidade. O problema não é a morte em si, mas as circunstâncias subjectivas de cada morte e isso vamos lidando cada vez mais, no decorrer da nossa vida.
    Beijinho amigo.

    ResponderEliminar
  22. Luís
    já hoje por telefone falámos deste triste desenlace do nosso comum amigo João; resta-nos a satisfação de o termos indo acompanhando ao longo do seu penoso calvário, fazendo-o sentir que ele tinha mesmo Amigos aqui na blogofera. A propósito disso, Luís, não resisto em afirmar que as amizades que se vão conquistando aqui, não se adquirem só pelo facto de visitar "n" blogs e dizer meia dúzia de patacoadas aqui e ali, mas vão-se cimentando dia a dia da forma como o Catatau o fazia; por isso ele tinha Amigos aqui, pois soube conquistá-los.
    Um abraço grande.

    Já falei com a L. e está confirmado o nosso almoço para a semana a seguir à Páscoa.

    ResponderEliminar
  23. Indidual(mente)
    pensava que sabias da sua doença, caso contrário já te teria informado; aliás só razão forte impediria o Catatau de comentar os seus blogs de referência (ou então os dias passados na sua amada arqueologia).
    Ainda bem que tiveste oportunidade de o conhecer naquele agradável almoço.
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  24. Não há muito ou nada mesmo que se possa dizer nestas situações. Mesmo sem o conhecer pessoalmente era claro que o Catatau era um ser humano de excepção. Os comentários que deixas aqui apenas o reforçam. Ficou o mundo mais pobre mas fazendo minha a citação da Natacha, por a achar tão correcta:

    "aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.
    Antoine de Saint-Exupèry

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  25. I love my shoes
    obrigado, amigo; outro, grande, para ti.

    ResponderEliminar
  26. Justine
    uma frase perfeitamente à altura do João, como tantas outras referidas aqui no post ou não; tocou-me particularmente a forma como me comentou um post anterior a um encontro com o meu Déjan:“ Vai, rapaz, vai nas asas do vento ter com o ar que respiras!”; é de uma sensibilidade notável!!!
    A perda é irreversível, mas a sua recordação e a sua palavra durará sempre.
    Beijinho muito amigo.

    ResponderEliminar
  27. Maldita doença...

    Lamento muito.

    Abraço

    ResponderEliminar
  28. I met Joao last year in Porto...we were very short together, but it was quite enough to conclude that he was a wonderful person.
    Thank you for the wonderful welcome in Porto, your gift and the most important, for an unforgettable society...
    I will never forget you...my friend.
    Rest in peace!
    Dejan!

    ResponderEliminar
  29. Lampejo
    conheço-te o suficiente para saber toda a tristeza que te invade a alma; não será maior nem menor que a minha, será a mesma porque ele era nosso AMIGO!!!!
    Há momentos, sabes, em que gosto mesmo da blogosfera, não por nos fazer conhecer amigos assim, mas pela onda de solidariedade que um facto triste como este, levanta.
    Ficámos mais pobres, é verdade, mas temos a grande felicidade de ainda sermos muitos e de nos sentirmos, em tais momentos, ainda mais unidos.
    Um abraço do tamanho do mundo.

    ResponderEliminar
  30. Amigo Sócrates
    sim é muito triste, mesmo, mas deixo-te aqui o sorriso do João, que espero perdure na tua memória; e é importante ficarmos com uma imagem assim dalguém de quem muito gostámos.
    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  31. Pinguim,

    desculpa mas copiei a foto do João (Catatau) para lhe prestar uma pequena mas muito sentida homenagem no meu blog (na parte lateral, direita). Muito obrigado e mais um abraço...

    ResponderEliminar
  32. Não vou querer forçar palavras, mas são os bons momentos que fazem com que tudo o que partilhaste no teu espaço chegue ao coração de quem passa por cá.

    *Hugs n' smiles*
    Carlos

    ResponderEliminar
  33. Amigo,

    não consigo escrever nada...tudo me parece pouco...

    Doeu... muito... senti-lo ali...
    Ao mesmo tempo senti-o em paz...


    Obrigada pela bela imagem postada do João sorridente e feliz que eu não quero esquecer.


    Um beijo,
    Duxa

    ResponderEliminar
  34. Pin, nunca há palavras que cheguem para consolar os que ficam, mas o João estava muito sereno e tranquilo. Está num sítio melhor, tenho a certeza.
    Deixámos uma mensagem em nome de todos os amigos "virtuais" que não puderam estar presentes.

    Um abraço forte.

    ResponderEliminar
  35. Querida Jasmim
    imaginei, como andas longe da blogosfera, que não tinhas conhecimento do que aconteceu ao nosso amigo; quando te liguei, reparei que quase ficaste incrédula, mas é a realidade.
    Como dizes, e sei porque ele o disse, que sofreu muito, mas agora está em descanso.
    Um beijinho grande e é bom matar saudades tuas quando formos almoçar com o Luís.

    ResponderEliminar
  36. Caro Kapitão
    é mesmo verdade o que dizes sobre o valor que devemos dar à Vida, porque nós não somos nada: de um momento para o outro desaparecemos.
    E claro também que devemos valorizar muito a Amizade, pois é nos amigos que vamos encontrar forças para enfrentar estas situações dolorosas.
    Eu, como sabes, perdi recentemente a minha irmã e agora este caso do João; é um ano para esquecer...
    Vamo-nos pois apoiando uns nos outros.
    Abraço grande e amigo.

    ResponderEliminar
  37. Natacha, boa amiga
    não podias ter escolhido citação mais bela e apropriada do que esta de Antoine de Saint-Exupèry que transcreveste no teu comentário. Fiquei comovido; sei, por experiência própria o que deve ter custado ao nosso amigo Lampejo, mas já não consigo imaginar a dor do J.
    Beijinhos afectuosos.

    ResponderEliminar
  38. Engine
    gostei muito de vos ter recebido aqui em casa, ontem; peço desculpa de não vos ter prestado, de início, a atenção devida, mas como viste e ouviste, notícias tristes chegaram e tiveram que ser transmitidas...
    No entanto, e devido à vossa presença, consegui, dentro do possível, adiar a minha mágoa por umas horas e só depois de vos deixar, vim para aqui compor este post.
    Gostei francamente do Ima e do A.e foi uma excelente noite; espero que se tenham divertido depois.
    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  39. Estou em choque, a ler todos os posts e comentários em vários blogs!

    Apenas fica cá quem ainda vai tendo algo para cumprir... e mudar...e espalhar felicidade enquanto existir...

    Um abraço com lágrima sentida a todos e ao seu companheiro (ele está no meio - e dentro de todos nós!)

    ResponderEliminar
  40. Pinguim, estiveste muito forte. Eu não sabia o que dizer, por isso optei por não dizer nada.
    A noite foi excelente e fiquei muito surpreendido por motivos que não sei explicar, mas foi pela positiva claro, senti que descobri novos horizontes e foi fantástico, saí da tua casa maravilhado.
    Um abraço grande e força!

    ResponderEliminar
  41. Catwoman
    tal como tu, achei soberba a citação de ASE que a Natacha colocou...
    E foi para quem não o conheceu que pus a foto feliz dele e meia dúzia dos seus sempre muito interessantes comentários.
    Beijoquitas.

    ResponderEliminar
  42. Caro Astor
    maldita doença mesmo...ninguém diga que está a salvo; à minha irmã é detectado um tumor no cérebro a 19 de Dezembro e faleceu a 12 de Fevereiro (nem dois meses); agora o Catatau, soube do tumor nos pulmões em Agosto e "partiu" ontem - 7 meses...
    Vamos viver, pois morrer é certo e sem aviso!
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  43. Querido Pinguim,
    vontade de chorar e pensar em mais uma injustiça, pessoas boas a irem embora (e ficarem tantas menos boas).
    (...) portanto, silêncio e um abraço para ti (muito grande) e outro para o Déjan (li atentamente o que escreveu e como compreendo o teu amor).

    ResponderEliminar
  44. My dear Déjan
    i was seeing you during the time you have been reading the translation of my text and I could see your eyes full of tears.
    Just one day you have meet João, but i know what you feel when he appears waiting us as a surprise and mainly, at night when he offers you a tee shirt with Metalicca because he knows how crazy you are for them.
    Since then allways you ask me about him, just after you knows that he has a cancer.
    I am sure you loose a friend too, not because he was a friend of mine, but he was realy a friend for you.
    Thanks your words; that's these little things that makes me love you day and day more.
    I adore you!!!!
    Kisses.

    ResponderEliminar
  45. Obrigado pelas tuas palavras, simples e constante é uma questão de puro tempo! :)

    Tbm estou aqui se precisares!

    ResponderEliminar
  46. Luís
    fico muito satisfeito que o tenhas feito; e que bem fica ali o João junto às tuas palavras, como sempre certas e envolventes...
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  47. Pinguim,

    Embora não conhecendo o Catatau, tomei conhecimento do seu desaparecimento no blogue do Paulo e do Zé. Mas aqui, quero agradecer teres feito uma homenagem onde colocas a foto, falas um pouco dele, revelas o nome, como se conheceram, e os impressivos momentos finais, mas sobretudo deixas algumas pérolas dos seus comentários, e como me revejo nelas. Isto faz-me pensar que tive muita pena em nao o conhecer. Num dos excertos que fazes de um comunidade blogueira, identifico-me com ele, assim de como quando a velhice tomar conta de nós, assim como das batidas do coração por alguém que amemos ou venhamos a amar.

    O unico comentario que deixei no Felizes Juntos foi qualquer coisa como isto.

    Curvo-me. Porque como dizia Oscar Wilde, onde ha dor, o chao é sagrado.

    Deixemos a musica passar, mas que as palavras dele fiquem... Pelo menos o pouco que conhevci dele agora por ti.

    Agora ele está bem. E como me arrepio e entristeço e quase tenho vontade de apagar este comentario...

    Daniel

    ResponderEliminar
  48. Olá pinguim ... preferia não ter vindo ao teu blog e ler o que acabei de ler ...

    Neste tipo de coisas, nunca sei o que dizer ... olha, prefiro não dizer nada.

    Fica o melhor que conseguires.

    abraços

    ResponderEliminar
  49. Carlos
    é isso que pretendo acima de tudo: partilhar!
    Sei que por vezes me exponho demasiado, pessoalmente; mas eu sinto necessidade de partilhar palavras e emoções, preciso de apoio nos maus momentos e sinto felicidade em comunicar os bons...
    Neste post pus todo o meu sentir, amizade e admiração por um Homem exemplar e gostei muito de o fazer.
    Abraço enorme.

    ResponderEliminar
  50. Querida Duxa
    um enorme obrigado pela tua iniciativa da coroa para o João; está linda, linda e já reencaminhei o teu mail para o Tong, Zé e Paulo, Keratina, Luís e Gonçalo, White Scratcher e Lampejo.
    Imagino a tua emoção na igreja; o Luís já me tinha telefonado a dizer que também lá esteve...
    Já viste que o Déjan se portou à altura? é uma jóia de moço...
    Beijinhos, muitos...muitos.

    ResponderEliminar
  51. Ana
    obrigado por terem deixado essa mensagem em nosso nome e por nos terem transmitido essa sensação de calma e tranquilidade que viram no João; de certa forma, tranquiliza-nos.
    Beijinhos amigos.

    ResponderEliminar
  52. Caro Ophiu
    mas ele ainda tinha algo para cumprir e mudar e tanta felicidade a espalhar...porquê já????
    Um enorme abraço para ti.

    ResponderEliminar
  53. Amigo A...
    ontem vocês foram uma excelente companhia e teria passado uma noite terrível se não tivesse havido aquele jantar.
    Acredito que tenhas gostado, pois notava-se que muita coisa falada era nova para ti e apreciavas as histórias ouvidas, nalguns casos pensavas mesmo que tais situações não aconteceriam nunca...
    Obrigado por teres vindo. espero que a noite depois tenha corrido bem.
    Abração.

    ResponderEliminar
  54. Popelina
    para não me repetir vou-te agradecer sobretudo o que dizes do comentário do Déjan (agora já podes ler a minha resposta) e por entenderes como é fácil e belo gostar-se de uma pessoa assim.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  55. David
    as minhas palavras saem da minha experiência, como te disse, mas também da amizade que sinto por ti.
    Não tens que agradecer.
    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  56. Daniel
    confesso-me surpreendido por este comentário; há bastantes e definitivas divergências entre nós, mas tratando-se de um post sobre uma pessoa extraordinária, publiquei o teu comentário.
    Fica bem.

    ResponderEliminar
  57. Caro Brama
    não é preciso dizer nada...
    Basta ler o que aqui e noutros blogs está escrito sobre este grande Amigo e ficas com uma imagem do que ele era e da tristeza que a sua perda provoca.
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  58. Olá

    "Bastantes e definitivas divergências?" Por causa do que comentaste sobre mim no blog do Hydra? É que nao houve nunca mais nada. Nem sequer nos seguimos.

    Enfim...

    Fica bem.

    ResponderEliminar
  59. Pensei em comentar, mas resolvi escrever um post. Preguiça? Talvez, mas assim não tenho de repetir as mesmas palavras num sem numero de comentários em tantos e tantos blogs que me falam do Catatau.
    Lamento a tua dor.

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  60. Daniel
    "Nem sequer nos seguimos", pois não; e tu lá sabes porquê! porque seguiste quase todos os blogs linkados por mim e não o fizeste comigo (ainda bem) e com os da Natacha?; aliás eu não ando em busca de seguidores...
    O assunto do comentário no blog do Hydra é tão ridículo que nem vale a pena falar nele.
    Assunto encerrado.

    ResponderEliminar
  61. Arsène
    acho que fazes muito bem, pois é uma forma autónoma de render uma homenagem.
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  62. O que dizer numa altura destas?

    ... (silêncio)

    ResponderEliminar
  63. Não me lembro dele fisicamente mas recordo-me de vários comentários seus aqui por este ou outro blog e isso fazia dele uma presença algo constante...
    Lamento muito a partida e mais do que as palavras lidas sinto um nó na garganta ao olhar para a fotografia de alguém que partiu mas que se mantém no coração de tantos.

    ResponderEliminar
  64. Nunca sei como encarar a morte.
    E, querendo ou não, ela está sempre tão presente, não é mesmo?
    Lendo seu relato, me comovi.
    Ainda bem que ele pode dizer que teve amigos.
    E sempre que fico sabendo de casos assim me lembro de uma música da Legião Urbana, que diz, mais ou menos assim:

    "é tão estranho, os bons morrem jovens
    assim parece ser, quando eu me lembro de você
    que acabou indo embora cedo demais..."

    Bjo e força.
    A você e aos que ficaram!

    ResponderEliminar
  65. Lamento imenso a tua perda! Não vim a tempo de me cruzar com o seu blog e porventura conecê-lo mas as tuas palavras mostraram quão fantástica era a sua personalidade, os excertos fizeram-me chorar de tão bonitos serem!
    Força a todos o que o conheciam!
    Abraços grandes!

    ResponderEliminar
  66. Caro Amigo Pinguim

    Uma bela homenagem a um amigo que é, em si mesma, uma comovente prova de amizade.

    Nós só morremos verdadeiramente quando a nossa existência se apagar da memória dos outros.

    João Manuel (ou Catatau para os companheiros da blogosfera) permanece na memória e no coração dos seus muitos amigos. E no fundo é isso que acaba por dar razão de ser à vida!

    Penso que, esteja onde estiver, decerto não deixará de sentir que esta sua breve passagem por este mundo valeu realmente a pena!

    O seu sorriso, neste belíssimo post, fica agora definitivamente voltado para todos nós e para a eternidade!

    Um abraço forte.

    ResponderEliminar
  67. Neste momento não sei se quero dia 9 de Maio...
    não sei se tenho coragem, não sei se conseguirei sorrir...
    neste momento ainda doi...

    Uma beijoka pra ti, pró Paulo e pró Zé!

    ResponderEliminar
  68. Eu não sei a resposta, Pinguim...
    Sei que nem sempre controlo o meu tempo e o que me acontece... mas sempre acontece!

    Mas creio que a injustiça existe para a tentarmos superar em vida!

    Um grande Abraço (e esperar que ele me comentasse já a seguir...)

    ResponderEliminar
  69. Caro Draco
    realmente por vezes o silêncio faz-nos avivar a memória das coisas boas do passado; é no silêncio que escutamos melhor o som das palavras ditas...
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  70. Graduated
    sabes que hesitei muito em publicar a foto, mas hoje mesmo, falando com o seu companheiro J.após o funeral, ele me agradeceu tê-la posto e me disse que ele era mesmo assim no dia a dia; era do tipo de pessoas que só tem amigos...
    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  71. Caro Autor
    é muito reconfortante ver chegar um comentário acerca do Catatau e da sua maneira de ser, de tão longe, do Brasil; tenho pena que o não tivesses conhecido e tens razão, de falta de amigos não se pôde ele queixar, e até ao fim...
    Abração.

    ResponderEliminar
  72. Felix
    também eu tenho pena que não tivesses tido essa oportunidade, mas podes fazer uma ideia da sua pessoa pelo que tens lido por aí...

    Sobre o teu aparte no blog do Lampejo, um dia terei oportunidade de te contar "tudo"; também eu lamento que isto tenha acontecido nesta ocasião, acredita, mas tudo se teria evitado se as pessoas se lembrassem do passado e não se armassem agora em vítimas...enfim...

    Abraço grande e amigo.

    ResponderEliminar
  73. Com senso
    a sua sensibilidade só terá comparação com a tua e a sua entrega aos Amigos era total; como não dizer isto e repetir a toda a gente????
    Abraço forte e a dar-te a força que bem precisas.

    ResponderEliminar
  74. Keratina, minha Amiga
    O João, que estará em espírito nesse jantar, decerto não aprovaria que ele não se realizasse e muito menos a tua não presença; este acontecimento doloroso só nos faz pensar que não somos nada e portanto temos que viver o dia de hoje, porque o amanhã é uma incógnita.
    Como já referi para 3 ou 4 amigos mais chegados do João, eu sinto-me muito mais perto de ti agora, pois fomos comungando impressões, temores e esperanças juntos, ao longo destes meses da sua doença.
    Um beijinho muito terno para ti.

    ResponderEliminar
  75. Ophiu
    alguém saberá?
    E será que temos tempo para superar a injustiça em vida?
    Abraços ternos e fortes.

    ResponderEliminar
  76. Aequillibrium
    será que acertei no comentário que deixei no teu blog, sobre o sismo aqui?
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  77. Lamento muito a perda do teu amigo.
    A vida é fugaz demais.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  78. Dantins
    obrigado pelas tuas palavras; era um homem fabuloso e um amigo excepcional.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  79. Para alguem que não o conheceu, como eu...digo te que bela homenagem a quem parte...tu sabes que eu sei o que isso é ...Um beijo caro amigo

    ResponderEliminar
  80. Free_soul
    Sim, sei; e por isso mesmo valorizas mais o que aqui está escrito.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  81. Que Deus o tenha no céu...
    :)

    Um GRANDEEE abraço*

    ResponderEliminar
  82. Só hoje vi este post pois estava a passear no teu blogue depois de umas semanas cada vez mais dificeis, mais trabalho, vou também ter de adiar os estudos, do meu lado as coisas pioram todos os dias um bocadinho, e depois vejo noticias destas que me deixam de rasto. Só me lembram que um dia... enfim vou limpar as lagrimas... Só me lembro da ultima coisa que lhe disse no ultimo jantar... "no próximo ficamos do mesmo lado para podermos conversar mais haha"

    ResponderEliminar
  83. Do you believe
    e tem, estou certo,meu amigo,
    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  84. Caro Swear
    sei o que sentes e quando falei com o J., o companheiro do João, acredita-me que pensei em ti; tens que ter muita força, Amigo...
    E a propósito do jantar, dará pra apareceres este ano? Far-te-ia bem, penso eu.
    Uma boa Páscoa para ambos e abraços enormes.

    ResponderEliminar
  85. Ontem foi um grande choque quando soube da triste notícia, nem consegui comentar, nem aqui nem no "Felizes". Bolas que merda de vida. Vou-me lembrar dele sempre que ler algum comentário no meu blogue e que falta nos vai fazer no dia 9.
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  86. Caro P.
    ele vai fazer muita falta em todo o lado e a muita gente; convidei o J. para estar no jantar, mas já sabia que ele não teria coragem de vir, ms ficou comovidamente agradecido.Claro que a ti nem preciso de dizer nada; vê se levas as tuas amigas, ok?

    Sabes que o Déjan estará cá e vai ver oura vez os Metallica? Mas eu não vou, pois para "seca" bastou no Rock in Rio..

    Boa Páscoa e um grande abraço.

    ResponderEliminar
  87. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  88. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  89. Caro António Domingues
    obrigado por este testemunho acerca de um amigo comum.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  90. Caro amigo

    Sem vergonha digo que não pude evitar uma lágrima ao ler este post. Que grande ser humano deve ter sido o João. Que grande homenagem lhe prestaste tu.

    Jorge Santos Silva

    ResponderEliminar
  91. Caro Jorge
    o João era uma pessoa excepcional e houve na blogosfera que o conhecia ou que dele ouvia falar um movimento unânime de homenagem e de grande tristeza; este jantar, será, estou certo, muito agradável, mas falta lá o João...
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar

Evita ser anónimo, para poderes ser "alguém"!!!