sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Ana e os "gatos"

Foi por mail que a Ana me mandou este vídeo, que não conhecia, e que achei delicioso.

"A Duetto di due gatti cómico" (Humurous dueto para dois gatos), é uma popular peça musical para dois sopranos; é muitas vezes apresentada como um "encore" de um concerto.



Apesar desta peça ser normalmente atribuída a Rossini, não foi realmente escrita por ele, sendo uma compilação escrita em 1825, a partir de trechos da sua ópera "Otello", de 1816. O compilador foi provavelmente o compositor inglês Robert Lucas de Pearsall, que para este efeito utilizou o pseudónimo de G. Berthold.

Por ter falado da Ana, gostaria de referir a excelência do seu blog "A Paixão dos Sentidos", em que ela com uma escrita descritiva muito apurada nos vai dando conta de tanta coisa bonita que acontece na vida rural, longe do bulício da cidade; é impressionante o que já aprendi ali, e a minúcia da explicação das causas de coisas simples que acontecem na natureza é fabulosa.
Devo confessar que um dia que vá por aquelas terras da Beira Alta, irei visitá-la e conhecê-la, se tal não acontecer antes, por aqui por Lisboa…
Fica a chamada de atenção para este blog, que vale bem a pena conhecer e onde o verbo partilhar é constantemente conjugado.
Obrigado, Ana!

23 comentários:

  1. Vai-me dar uma coisinha má de tanto rir! Que video fantástico!!!

    ResponderEliminar
  2. Vasco
    quero tudo menos o teu mal...
    Os meus gatos também adoraram.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. É bastante interessante... inesperado.. :P
    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Martinha
    inesperado é talvez um adjectivo bastante adequado a este trecho musical.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  5. Amigo Pinguim

    Gostei imenso...
    Esta é uma das peças mais divertidas do reportório clássico. Há uma versão magnifica da Felicity Lott e da Ann Murray no ultimo dos concertos Promenade de 1996.
    Felizmente está no Youtube:
    http://www.youtube.com/watch?v=tQmvNUN4-fk
    Um abraço amigo

    ResponderEliminar
  6. Amigo Com senso
    fui ver o vídeo cujo link me enviaste: imperdível!!!!
    Quem quer que leia este comentário visite o link e divirta-se mesmo...
    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  7. Violeta
    e que bom ver-te de volta!!!!
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  8. Paulo
    para quem gosta de "gatos", principalmente...
    Beijo.

    ResponderEliminar
  9. Paulo e Ophiu
    Que bom!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Abraços enormes.

    ResponderEliminar
  10. Muito engraçado, não estava nada á espera e fartei-me de rir, bom fim de semana. ;)
    Abraços

    ResponderEliminar
  11. Olá Bruno
    às vezes aparecem surpresas...
    Bom fim de semana.
    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  12. Que descoberta fabulosa pinguim!
    ara além dos gatitos e dos papaguenos, haverá mais duetos de animais assim tão divertidos?

    ResponderEliminar
  13. Olá Denise
    não foi só surpresa para ti; também o foi para mim, apesar de ser, segundo parece um pequeno trecho musical bastante popular.
    Aconselho-te, se ainda não o fizeste, a ver o vídeo cujo link está no comentário do Com senso: é uma outra versão muito divertida no fecho de uma temporada dos Promenade, no Royal Albert Hall.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  14. Os gatos (falo dos verdadeiros) dão-te a volta à cabeça!!!
    Abc,

    ResponderEliminar
  15. Olá Luís
    adoro gatos e não posso viver sem os meus três: os dois verdadeiros e o "verdadeiro gatão"...
    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  17. Olá Amigo,
    Ao ver o magnífico video indicado pelo "com senso" e comparando com a interpretação dos meninos, dei comigo a pensar em como a maturidade pode modificar a entrega a uma interpretação.
    Os meninos ainda não têm a capacidade representativa que estas duas fabulosas cantoras exibem. E de reflexão em reflexão acabei por recordar o post que escrevi em Junho de 2007 e que modifiquei o título para "Farineli e os castrati" em que uma das razões para justificar a castração seria a de não poderem exigir uma grande expressividade nas crianças ainda tão imaturas.
    O “Lascia Ch'io Pianga” se fosse intrepretado por um menino, certamente não teria a força dramática daquela que assistimos no video que publiquei na altura. E quanto sofrimento foi infligido a milhares e milhares de crianças que foram esmagadas neste torno do ideal estético.
    A peça que te enviei nada tem com esta reflexão. Só me ocorreu depois de comparar com a do outro amigo.
    Obrigada pela propaganda que fazes ao Paixão dos Sentidos. Fico satisfeita por gostares. Até porque tem muito (por vezes demasiado)de mim mesma.
    Um beijinho muito grande

    ResponderEliminar
  18. Olá Ana
    eu não conhecia a obra, como disse e fiquei fascinado; não tive a ideia de pesquisar mais interoretações no You Tube; mas o Com senso, que é uma pessoa fabulosa e sempre atento, fê-lo por mim e assim aí está essa outra maravilhosa forma de cantar a peça.
    Compreendo o que dizes no que respeita a uma relativa falta de expressividade das crianças neste tipo de canto (nota-se particularmente no miúdo louro).
    A história dos castrati é terrível...
    Quanto ao teu blog, apenas disse a verdade: é muito bom!!!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar

Evita ser anónimo, para poderes ser "alguém"!!!